Arquiteta apresenta proposta de desenvolvimento baseada no legado de Fritz Müller

Por Alexandre Back AGÊNCIA AL

Acesse a matéria original no LINK

Veja o vídeo do pronunciamento AQUI

A arquiteta Carolina Nunes aparece em 1o plano discursando na tribuna da ALESC. Ao fundo, aparece o slide no telão, onde está escrito "Humanitat". A bandeira do Brasil também aparece atrás da tribuna.

Arquiteta de Ecossistemas Urbanos da organização Humanität, Carolina Viviane Nunes FOTO: Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

A arquiteta de Ecossistemas Urbanos da organização Humanität, Carolina Viviane Nunes, foi à tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta quinta-feira (21) para apresentar um projeto de desenvolvimento para as cidades catarinenses, baseado no legado do naturalista e pesquisador alemão Fritz Müller (1822- 1897).

Carolina, que na ocasião também representava a Associação Catarinense de Preservação da Natureza (Acaprena), afirmou que Santa Catarina é um estado de pequenas e médias cidades que passa por uma “encruzilhada do desenvolvimento”, na qual em muitas localidades o crescimento chega de forma desordenada, criando-se áreas sem identidade, com a consequente perda de oportunidades e qualidade de vida para a população.

Ela disse que buscou na Alemanha as referências para apresentar uma solução para a questão. O país europeu, conforme explicou, possui muitas cidades que já passaram pelo mesmo problema e buscaram se reinventar, imprimindo valor em suas próprias características.

Como exemplo, ela citou a cidade de Essen, cuja economia era baseada em indústrias do carvão e do aço e que teve que buscar um novo modelo de desenvolvimento após o declínio do setor. Para tanto, foi adotado um novo paradigma, baseado no meio ambiente e na cultura.

O rio local foi despoluído e renaturalizado, para o qual elaborado um roteiro ciclístico específico, com educação ambiental contada por artistas locais. Também foi criada uma rota da cultura industrial, com atrativos como instalações artísticas e eventos. Já uma antiga mina de carvão, já desativada, passou a abrigar um centro cultural e se tornou patrimônio da humanidade.

“Com isto a cidade pôde se tornar novamente atrativa para empresas e para pessoas que queiram nela morar, trabalhar e empreender, gerando valorização e atraindo empregos do setor verde e de tecnologia”, defendeu.

Caminhos de Fritz Müller
Os municípios catarinenses poderiam adotar a mesma solução, declarou a arquiteta. “A minha proposta é que Santa Catarina também busque o desenvolvimento através do meio ambiente e da cultura. E os caminhos de Fritz Müller são um passo nessa direção.”

Conhecido pela colaboração com o pesquisador inglês Charles Darwin para a formulação do livro “A Origem das Espécies”, Fritz Müller também é um nome de destaque no mundo científico internacional pelos seus estudos da fauna de invertebrados e da flora catarinenses. As excursões realizadas pelo naturalista alemão em seu trabalho exploratório e científico abrangeram diversos municípios catarinenses.

“Fritz Müller deixou um legado nas cidades catarinenses que visitou, indicando elementos diversos em cada uma delas. Podemos criar Os Caminhos de Fritz Müller, um roteiro turístico pelo estado, enriquecido com elementos culturais e artísticos, educação ambiental e iniciativas científicas.”

Em complemento, ela aconselhou os municípios a estabelecerem políticas com diretrizes de planejamento urbano e regional.

Deixe uma resposta